Nota da CUT sobre o Dia Internacional para o Direito à Verdade

23/03/2016

No dia 24 de março é celebrado o “Dia Internacional para o Direito à Verdade em relação às graves violações dos Direitos Humanos e para a Dignidade das Vítimas”, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) para recordar os crimes cometidos por ditaduras em todo o mundo e homenagear milhões de vítimas.

Neste momento, assistimos no Brasil a grande mídia conservadora, os partidos políticos derrotados, que não aceitam os resultados das urnas que elegeram a presidenta Dilma, importantes setores do empresariado e integrantes do Judiciário numa campanha aberta pelo golpe e atacando a democracia.

Foi uma campanha semelhante a essa que há exatamente 52 anos levou a destituição do presidente constitucional João Goulart, em 1964, e instalou uma ditadura que violou gravemente os direitos humanos com perseguições, intervenções sindicais, censuras, prisões, torturas, desaparecimentos e assassinatos de trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade.

Celebramos o Dia Internacional para o Direito à Verdade para que fatos como àqueles não se repitam e também por que queremos verdade, memória, justiça e reparação para as vítimas. Lembramos que também foi em um dia 24 de março que os militares impuseram uma ditadura na Argentina que matou, em poucos anos, milhares de pessoas.

Neste momento, em que recordamos os 52 anos do golpe no Brasil e os 40 anos do golpe na Argentina, a CUT, outras centrais sindicais, entidades dos movimentos sociais, trabalhadores, trabalhadoras, artistas, intelectuais, estudantes e todos/as democratas estão em vigília permanente afirmando que essa história não se repetirá.

No dia 18 de março, centenas de milhares de pessoas saíram às ruas em todo o Brasil mostrando que este é um momento de luta. Conclamamos todos e todas se mobilizarem. Não vai ter golpe. Em defesa da democracia e dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras.

 São Paulo, 23 de março de 2016.

 Sérgio Nobre         

Secretário-Geral

 Maria Aparecida G. Faria

Secretária-Geral Adjunta

 Jandyra Uehara Alves

Secretária de Políticas Sociais e Direitos Humanos.